Domingo, 3 de Maio de 2009

 

 

Nunca te disse das conversas que tive com ele. Falávamos tanto de ti! Nunca te revelei os pedidos que me fez, enquanto me ia dizendo onde ficaria tudo de que poderias precisar, depois, quando ele fosse embora.

Falámos de tudo! Falámos até do que nem ouso revelar a mim mesma.

 
- Posso ficar descansado?
- Podes, sabes que podes!
- Só queria pedir-te uma coisa.
- Diz.
- Prometes que deixas que a olhe através dos teus olhos?
- Prometo, Pai.
- E que me falarás da cor deles?
- Sempre!
 

Perguntaste uma vez porque gostava tanto de ficar a olhar-te?

Agora já sabes, meu Amor.

 

 

 

 

Fotografia de © - Fons –

 

 



Nunca te disse,
Da vontade que tenho,
Que não meço,
De te abraçar.
Já te disse que te amo,
Já te enchi de beijos,
Mas nunca te falei de mim.
Nunca te revelei
Da calma que me invade,
Só de te ter
À distancia deste nada
Incapaz de nos separar.
 
Vou calar as minhas mãos nas tuas,
Vou ficar um pouco,
Para ter o doce prazer
De te saber tão bem!
Vou parar tudo
E ouvir apenas
A tua presença,
Saboreá-la…
 
Contigo não há fim,
Contigo eu existo mais.
Nunca te disse
Que de todas as vezes que de ti nasço,
Em ti me eternizo.
 
Saber-te comigo.
Soberba sensação esta!
Poder dizer-te tanto,
Tudo aquilo que nunca te disse,
Porque não preciso,
Porque tu tão bem me sabes,
Por tão de ti eu ser vossa parte!

 

 

 



publicado por Cris às 00:54 | link do post | comentar | favorito

28 comentários:
De Como Decorar Quarto Bebe a 6 de Junho de 2009 às 10:54
Mãe ...
A palavra mais linda do mundo.
Mãe à só uma ... a nossa.


De tmarat a 21 de Maio de 2009 às 08:06
deixo-te um bj amiga.


De Paulo Mello a 15 de Maio de 2009 às 04:45
Cris, minha amiga, ainda estou em estado de choque, mas tive que vir te contar... a tua Calunguinha encerrou o blog... sem volta, de vez, ai como está doendo, amiga!

Não sei se chegaste a ver a homenagem que ela me prestou no dia de hoje, pelo meu aniversário. Ficou uma coisa linda! Recebi ainda um presente dela, pela Express Service, e estava todo contente com tanta deferência para comigo, estava mesmo, Cris, MUITO FELIZ MESMO! Durante o dia todo não consegui falar com ela para agradecer e deixei comentários imensos no seu espaço, feliz da vida! Agora à noite, depois dos inúmeros recados deixados, ela me ligou. Ficamos um tempo enorme ao telefone, rimos, brincamos, e de vez em quando eu notava que ela silenciava por minutos, depois voltava. Após quase umas duas horas de conversa ela pediu para nos despedirmos, pois estava cansada, com sono, e precisava dormir. Fiz uma série de brincadeiras com ela, ela me fez prometer que não iria me abalar daqui para visitá-la no final de semana, disse-me que iria passar uma temporada na casa de campo, que precisava ficar sozinha para tomar algumas decisões, e que eu não precisava me preocupar, que ela estava bem, que iria se cuidar, mas que eu não telefonasse para ela com a mesma assiduidade, que esperasse ela telefonar para mim e ainda riu dizendo que era para eu não ficar gastando meu dinheiro à toa, e que ela ligaria para mim de vez em quando. Ri também e ainda brinquei que ela era mais rica que eu e que eu iria esperar pelos telefonemas dela, pois estava ficando muito caro para mim, rimos destas bobagens e quando eu pensava que ela fosse desligar, ela me pediu que, quando desligasse, fosse ao blog dela e que não me assustasse nem ficasse com raiva, pois ela tinha feito o que precisava de fazer. Meu coração quase saltou pela boca, comecei a fazer indagações, mas ela se apressou em despedir.

Aí eu fui lá, Cris, ansioso, quase desesperado, e encontrei uma página totalmente negra, resolvi rolar a barra lateral e foi então que apareceu um poema dela... fiquei ali, parado, lendo, relendo, e só então percebi a música de fundo, uma que ela toca e que mais gosto por ter o nome dela. Ai, Cris, que vazio horrível eu senti. Tive ímpetos de pegar o telefone e ligar para ela, mas sabia que ela não me atenderia mais. Fiquei ali um tempo, lendo, relendo, ouvindo a música e era como se eu pudesse vê-la ao piano, com a cabeça um pouco de lado, as mãos correndo suave pelas teclas, de vez em quando sorrindo com o olhar meio triste... ai que dor, Cris!

Não sei se vou aguentar passar o final de semana sem ir vê-la, não sei.

Fico pensando, como pode um espaço apagado causar tanto mal estar no coração da gente? Foi uma sensação horrível, Cris, principalmente depois da homenagem linda que ela fez para mim, e a tua também, era como se estivesse despedindo de nós dois.

Tu já deves estar dormindo de há muito, minha amiga, e eu preciso acalmar-me para tentar dormir também. Vou tocar um pouco de violão para me acalmar e ver se durmo.

Boa noite, Cris, fica meu abraço de sempre,
PMello


De Cris a 15 de Maio de 2009 às 23:36
Quando não estamos tão bem quanto gostaríamos é difícil, Paulo, falar.
Fui lá, em tempo trouxe para aqui as flores, ainda vacilei em deixar o meu contacto, mas, penso que ela o terá.
Estou triste, não posso dizer mais do que isto mas se a "nossa" Calunguinha quis fechar o blog, foi porque achou que era a melhor opção.
A amizade que vos une não acaba por se fechar um blog, Paulo, nem penses nisso e ela precisa é de recuperar e ficar bem.
Um beijo com toda a amizade pelo teu dia. Foi ontem, não foi? Tiveste uma bela surpresa, vês como foi óptimo?
Agora vê lá! Não deixes de vir até ao lugarejo, an?
Beijito ao teu filhote e 'bora lá tocar uma boa música no violão que é num instante que vou a casa dos meus pais buscar a minha viola.



De tmarat a 14 de Maio de 2009 às 10:20
"Crida" Cris, vir aqui é respirar mansamente amor e sensibiidade. Inspira-se beleza.
Bjs
Luz e paz em teu caminhar amiga


De Cris a 15 de Maio de 2009 às 23:38
Obrigada, Linda Tmara!


De Paulo Mello a 13 de Maio de 2009 às 22:34
Cris: estou por aqui rindo dos comentários da Beatriz (raramente a chamo assim...).

Quer dizer então que eu sou um "Amigo tão perfeccionista...", veja só!

Cris, a palavra "Amigo" é tão bonita! Mas vindo dela soa-me tão estranho... Imagina mudá-la para: Amor, Amado, Amante, quão mais mais belo seria! Infelizmente...

Como viste, Amiga, ela está mesmo disposta a encerrar aquele espaço. Segundo uma de nossas conversas, ela pretende abandonar de vez a blogosfera. Disse-me que o tempo que lhe restar disponível será ocupado com a leitura que deseja colocar em dia. Dei-lhe a idéia de fazermos um blog, eu e ela, em postagens alternadas, mas a idéia não foi bem aceita devido ao posicionamento que já tomou.

Enfim, Cris, entro a todo momento no seu blog para ver se ela "apagou" as mensagens já postadas e fico sofrendo com esta "morte anunciada". É como se, quando ela o apagar, estará levando uma parte de mim... pode isto?

Como já comentei contigo, o blog é mais um ponto onde eu vou buscar por ela, onde eu me "encontro" com ela.

Estive vendo a homenagem que ela te fez. Se não estou enganado, Cris, aquela é uma das suas pinturas. Ela possui quadros lindos! Alguns outros ela andou postando, mas sem se identificar. A Beatriz possui excelentes qualidades artísticas (pintura, música, canto, dança), mas é extremamente modesta, descarta elogios. Ai, meu Deus como eu amo aquela minha "amiga"... (risos)

Quero dizer-te uma outra coisa, Cris, relativo ao prazer que sinto em ler a "correspondência" mantida entre as duas. Como ambas escrevem bem! Nota-se nitidamente a afeição que as une e a facilidade com que revestem as palavras na mais linda Poesia. Dá gosto vê-las trocando mensagens.

E eu fico aqui "babando" de orgulho pelas minhas duas Amigas... prediletas (risos).

Agora vou lá no espaço da "tua" Calunguinha, brincar um pouco com ela.

Fica meu fraterno abraço e os votos de uma noite de Paz junto aos teus.

Do amigo
PMello


De Beatriz a 13 de Maio de 2009 às 03:55
Cris, minha Linda, antes que o nosso querido amigo Paulo apareça por aqui e em seguida me ligue para dizer que não precisava de postar dois comentários iguais, e para falar do tanto de 'consideração' num só trecho, eu te peço para 'considerar' o parágrafo abaixo como o certo, bem como apagar um dos comentários (rs).

"Meu afeto, amizade e consideração, num beijo de agradecimento por chamar-me de Amiga e dispensar-me tanto carinho e atenção."

É nisto que dá ter um Amigo tão perfeccionista... já expliquei para ele que, quando se escreve no calor da emoção, as regras podem ser 'quebradas', os deslizes gramaticias podem ser suportados, e as palavras repetidas devem ser consideradas como um 'reforço' ao que se diz... (rs).

Vamos ver se 'cola' esta desculpa... (rs)


De Beatriz a 13 de Maio de 2009 às 03:40
Cris, minha linda, sempre tiveste o condão de tocar-me a alma através de palavras (e isto vem de há muito, quando ainda eram proferidas em doces flocos de algodão...) e as de agora não foram diferentes. Já reli tua mensagem vezes sem conta, e a cada vez sinto-me inundar por uma grande ternura, dessas que só acontecem em situações muito ‘especiais’ quando nos chega a certeza de que o momento contou com a benevolência do Pai.

Acredito ser desnecessário acrescentar qualquer coisa àquela simples frase que aqui deixei em seguida à leitura do teu comentário, pois não só o coração como também a alma se diluíram junto das lágrimas... e na entrega com que me fiz e no carinho com que me recebeste, traduziram-se muitos ‘silêncios’.

Quisera, meu anjo, ah, como eu quisera... pegar cada palavra que me disseste, cada frase de significados tão ricos, e inserir nelas os meus próprios ‘significados’, no entanto, não só me seria muito ‘penoso’ como estaria desvirtuando as imagens tão belas que criaste com tanto carinho.

No momento, Cris, consigo apenas abrir a porta todas as manhãs e fechá-la à noite...

De qualquer forma, querida amiga, sinto que é chegado o momento de encerrar mais uma etapa na minha vida, há que se deixar, porém, que as ações do Pai se façam, e acatá-las da melhor forma que nosso frágil Ser conseguir.

Deste-me flores... dou-te um punhado de estrelas que deposito no teu olhar enquanto olhas um momento bom para te encontrares e prosseguir. E quando tu te levantares, meu anjo, com toda a certeza verás espalhado no lugar onde estiveste, milhares de pétalas de rosas coloridas. Tome algumas entre as mãos e perfume-as com o carinho que te mando agora, espalhe-as pelos teus lindos cabelos e siga... e lá na frente hás de encontrar a Primavera a sorrir-te, braços abertos, que te cobrirá com as flores que nasceram entre os sonhos que teu doce olhar fez surgir quando mirava o horizonte.

Quando puder, busque lá no Caminhos algumas flores que deixei para ti. Desnecessário dizer do prazer que senti ao postar tão singela homenagem, que se reveste de um grande significado quando me dou conta de que, com ela, estou praticamente fazendo o encerramento daquele espaço.

Meu afeto, amizade e consideração, num beijo de agradecimento por considerar-me como Amiga e dispensar-me tanta consideração.

Escusado dizer da reciprocidade.

Da tua (sempre)
Calunguinha


De Cris a 15 de Maio de 2009 às 23:42
As flores estão ali, Calunguinha! Lindas!
Não deixes de vir sempre que queiras e cuida de ficar bem! Faz isso por Ti, ouviste, e, pela filhota linda que tens.
Ainda que não tenhas blog, não deixes de escrever nunca, como alguém que me é muito mas muito Querido, tanta vez me diz.
Beijitos muitos.


De crismestre a 12 de Maio de 2009 às 22:17
Adorei o que li!
Muito lindo, comovente...
Tanta cumplicidade e carinho!
Beijinho Xárá


De Cris a 12 de Maio de 2009 às 22:33
É para Ela que corro, nela me aconchego.
Verdadeiro o que lhe digo: "De todas as vezes que dela nasço, nela me eternizo"

Um beijo, minha querida Xará


De Beatriz a 10 de Maio de 2009 às 16:20
Por agora vim apenas abraçar-me a ti e chorar...


De Cris a 10 de Maio de 2009 às 22:02
Fica então, Linda, fica, o tempo que queiras.
Abraço-te com toda a amizade, toda!
Força, Querida, que a bonança vem, pode tardar, mas, ela vem e... tens tantos "caminhos de ti" tão bonitos para passear :)



De Daniel Aladiah a 10 de Maio de 2009 às 15:47
Querida Cris
Como se fora uma bebedeira de amor... o que daqui se leva...
Um beijo
Daniel


De Cris a 10 de Maio de 2009 às 21:58
Querido Daniel, digo-te, como eu adoro a minha Mãe!
Bom resto de Domingo com um abraço amigo


Comentar post





mais sobre mim
Dezembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


Artigos recentes

 


...

Bonança

Ti'Mariquinhas, mãos chei...

Infinito

...

...

Viagem

Serenidade

Triste Forma de Amar

Não deixes de nos olhar

Arquivo

 

Dezembro 2009

Outubro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Outros Lugarejos



A-manh-ser
adesenhar
Ao Sabor do Vento

Branco e Preto II
By The Canon Viewfinder

Claras Em Castelo
Claras Manhãs
(A) Clareira
Codornizes
Chris

Da Condição Humana
Dias Desiguais
Doce Modo de Olhar a Vida

Entre Tempos Que Se Tecem
EREMITÉRIO
Estórias de Bicharocos e Bicharada
Estrada de Santiago
(O) espaço azul entre as nuvens
Estúdio Raposa-Luís Gaspar

Flávia Vivendo em Coma

Golden Oldies

Humores

Ilha dos mutuns
(In)Perfeições
Intemporal
It’s going to be, hold it, legendary

(O) jardim e a casa

Madrugadas de Volúpia
Mar de Sonhos
Menina Marota
Microargumentos
Migalhas
Ministério da Soltura

Na Linha das Linhas
noVI TÁ
Nuno de Sousa

Outros Olhares

Palavras da {{coral}}
Palavras em Desalinho
Partilhas
Plan(o)Alto II
Poemas de Amor e Dor
Poesia Portuguesa
poetaeusou...
Poetizando a essência de mim

Reflexões Caseiras
(O)Repórter Alentejano
Revelações...Avulsas

Sal p!car te
Sidadania
Silêncios da Minha Alma

Traços e Letras
Truca-Luis Gaspar

Um olhar sobre...
Uma Nova Cubata

Velas ao Vento
(O) Vento Contra a Cara
Vida de Casado

Webclub
Words


Lugarejos que me encantam



Comércio e Tradição
Fotolog de Ana Rita Pinto

Anúncios grátis
blogs SAPO
subscrever feeds