14 comentários:
De Fernanda Paredes a 4 de Junho de 2009 às 00:27
Não conseguia comentar!...Ufa, até que enfim!!!:)
Adorei este post, a prosa, o verso e a minha foto que nem parece minha...valorizou tanto!! Parabens, continue a escrever com a alma nas palavras!... Um abraço


De Cris a 4 de Junho de 2009 às 01:25
Quando vi aquela fotografia, apaixonei-me e fui logo buscar o poema. O poema é que se musicou com a imagem, Fernada. Agora sim, consegue-se ouvir um vira, sentir o cheiro da sardinha assada, olhar aquele verde a abarrotar de tanta tonalidade!
É lindo o Minho, o nosso Minho!

Pronto. Já sabe o caminho, é sempre bem vinda, sempre e prepare-se porque lhe vou buscar mais umas tantas imagens!
Belos os seus olhares! Delicio-me com qualquer um deles.




De Sonhos Perdidos a 31 de Maio de 2009 às 09:50
Cool


De Carla a 31 de Maio de 2009 às 08:31
engalanou-se o MInho para a festa adornado por estes versos encantados
parabéns
beijo


De Daniel Aladiah a 29 de Maio de 2009 às 23:27
Querida Cris
Ai verde Minho... :)
Um beijo
Daniel


De Cris a 29 de Maio de 2009 às 23:36
Sou minhota, sim :) Como me emociono com um belo vira do Minho, Querido Daniel! E cantar à desgarrada? Tão bom que é!

Meu beijo para ti e os teus, Amigo


De Chris a 28 de Maio de 2009 às 00:17
Mais um belíssimo trabalhos.
Que bem jogas com as palavras.
Senti-te afastada por um tempo, ainda bem que voltaste!
Beijos


De Cris a 29 de Maio de 2009 às 19:18
Olá, Xará.
Tenho andado menos bem (não de saúde, mas de disposição) e preciso (no meu caso) de me sentir calma para poder escrever. Este poema é uma reposição.
Quando o escrevi dediquei-o ao meu Pai, que era um Minhoto convicto, emocionado.

Não tarda, volto, prometo.
Obrigada, Linda pelas tuas palavras sempre tão boas, tão bonitas, cheias de amizade.

Com carinho,
Cris


De paranoias a 28 de Maio de 2009 às 00:06
Oi priminha...
cada vez melhor esta tua escrita...vontade de sonhar, fechar os olhos e relembrar...
Bjinhos


De Cris a 29 de Maio de 2009 às 19:22
Olá, Prima.
Sabias que guardo (lá em casa da Avó Edu) alguns dos teus poemas?
Um beijinho e a gente vai-se sempre falando.
Adorei ver as fotos da família :) Eia, que os nossos filhotes são mesmo bonitos, an? ;)

Obrigada e logo que possa (que a João anda atarefadíssima) envio as últimas fotos que ela tem, ok? As da imposição!
Babei (imaginas, né?) vê-la trajada.

Bom fim de semana para ti e todos.


De Paulo Mello a 25 de Maio de 2009 às 02:22
Tu podes ser tudo, Cris, com este teu versejar de primeira, com esta forma tão bonita de prestar homenagens a pessoas e lugares, tudo podes conquistar. São belos os trajes da fotografia e parece que dá até para ouvir a música que embala os dançarinos. Pelo teu olhar adivinha-se uma região muito rica e muito bonita, além de muito poética. Um belo post, amiga, sem dúvida.

Estou chegando de uma visita à tua Calunguinha, Cris, preocupado que estava com o fato de não ver meus telefonemas atendidos. Ela praticamente se isolou na casa de campo onde, durante a semana, fica somente com os empregados da casa. Lê o tempo todo, toca piano, escreve, passeia pela região, e nos fins de semana convive com os parentes que vão ficar com ela. Disse-me ela que está muito bem, que precisa deste descanso, deste contato com a natureza, e quando perguntei até quando pretende isolar-se, ela simplesmente me respondeu: só Deus sabe! Mudou de assunto, pediu desculpas por não atender os telefonemas, tendo se reservado o direito de conversar apenas com a mãe e a filhota durante este tempo de reclusão. Na hora da despedida, gradeceu minha visita, mas pediu-me para não ficar aborrecido por não atender meus telefonemas, pediu que eu entendesse a situação e que procurasse viver a minha vida, tocar meus projetos, e que ela estaria sempre torcendo por mim, pela minha felicidade.

Enfim, minha boa amiga, a Beeatriz praticamente me expulsou da sua vida, com delicadeza, com educação, mas com muita firmeza. E eu, apesar da tristeza, vou tentar seguir cumprindo as promessas que tive de fazer. É isto aí, Cris, o que foi minha vida nestes últimos dias depois que ela encerrou o Caminhos de Mim. Hoje, quando entro lá, só ouço uma música triste que eu bem sei não é dirigida a mim, mas a alguém que ocupou o coração dela de tal forma que nada nem ninguém consegue arrancar de lá. Não soubesse eu dos seus problemas de saúde, sérios demais pelo que a senhora sua mãe deixou entrever, pensaria que o mal da tua Calunguinha é um mal de amor. Enfim, com sofrimento ou não, vou tocar a vida pra frente.

Sempre que uma nova postagem surgir, estarei por aqui, Cris, para ler-te.

Que tua semana seja cheia de coisas boas junto aos teus.

Meu abraço fraterno, meus cumprimentos, e um pouco de minha tristeza,
PMello


De Cris a 29 de Maio de 2009 às 19:25
Queria poder dizer que a semana foi plena de tudo de bom, Paulo... Vou pensar que a que se avizinha seja bem melhor.
Tempos um pouquinho complicados, estes, que me afastam de escrever, de responder, de comentar.
Fui ao blog da Calunguinha :( Já nada existe, Paulo :( Não faz sentido manter o link ali --->
Vou retirá-lo.
Se falares com ela, dá-lhe um grande beijo meu e que tudo lhe corra bem.
Para ti o meu abraço pleno de amizade, sempre!
Beijito ao teu filhote.



De Nuno de Sousa a 24 de Maio de 2009 às 23:49
Bem amiga... que dizer de mais um belíssimo trabalho, que bela a tua escrita dedicada à bela região do Minho que tanto adoro, minha sogra é Minhota e como eu gosto dessa região e tão belas fotos ali se fazem... olha já fiquei com saudades és a culpada :-)
Bjs em ti amiga e uma boa semana,
Nuno


De Cris a 29 de Maio de 2009 às 19:29
Obrigada, Nuno, por tudo.
Já votei nas vossas fotos, a tua e a da tua Paixão. Depois diz-me do resultado, pode ser?
Quanto a esta região, ao Minho, fico à espera da vossa visita. Locais lindos para fotografar não faltam.
Arranjem um fim de semana e venham até cá e o resto vai ser óptimo, garanto-vos!

Beijitos para ti e para a Lena e bom fim de semana cheio de olhares multicoloridos.


Comentar post