De Paulo Mello a 30 de Junho de 2009 às 12:29
Cris, acabaram-se os sonhos, as esperanças... a tua Calunguinha vai se casar! Estive com ela no final de semana e na mesma proporção que ela ia relatando como estava feliz e como havia descoberto o amor de sua vida, dentro de mim iam se definhando os sentimentos que eram nutridos de que um dia nós poderíamos ficar juntos. Tive que me manter firme, enquanto ela desfilava um rosário de acontecimentos que culminaram com a sua descoberta de que estava apaixonada. Foi tudo tão rápido, Cris, um médico veterinário que fora chamado para olhar uma cadelinha que se acidentara e daí foram surgindo as coincidências na vida dos dois e ambos foram se descobrindo e já estão fazendo planos para o casamento. Bem podes imaginar a minha angústia, minha tristeza, e como fui murchando por dentro enquanto a ouvia relatar-me, feliz da vida, os últimos acontecimentos. Narrativas entremeadas com a expressão: meu bom amigo, meu amigo querido, e eu ali, morrendo aos poucos por dentro. Podes pensar, Cris, que sou egoísta, mesquinho, e que, se a amo, devo querer o melhor para ela, e que devia estar feliz por vê-la também feliz. Acontece que fiquei sim, minha Amiga, a meu modo, foi bom vê-la exultante, com o brilho no olhar que há muito se apagara. Ao vê-la cheia de vida, de alegria, eu senti também uma enorme pena por não ser comigo todo aquele entusiasmo, por não ser eu a pessoa que a trouxe de volta à vida. Ai, Cris, foram tão desencontradas as minhas emoções... e ela, que sempre foi tão cuidadosa para não me ferir por saber dos meus sentimentos, ficou ali, espontaneamente falando da sua felicidade. Será que foi insensibilidade da parte dela? Ou a sua alegria era tanta que ela, ao considerar-me um AMIGO, quis partilhar comigo as suas emoções? Ai, Cris, como é difícil saber que a mulher que tanto amo vai se casar com outro...

Desculpe o desabafo, minha boa Amiga, mas já acompanhas este meu tormento por tanto tempo, que eu tinha que vir contar-te esta novidade que tanta tristeza colocou no meu coração.

Agora é seguir em frente, procurar me manter firme, e buscar forças no Poder Infinito, na Infinita Misericórdia, pois tenho um filhote que precisa que eu esteja bem para guiar seus passos ainda tão carentes de minha orientação.

Receba um abraço fraterno, minha boa Amiga, e mais uma vez peço desculpas pelo desabafo,
PMello


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.