Sábado, 5 de Dezembro de 2009

 

 

Fotografia de ©Ana Rita Pinto

 

Tinha mãos pequenas, mil berlindes. Tinha uma vontade grande de os lançar para fazer uma história com um final feliz.

Um dos seus encantos? Brincar ao faz de conta no pátio do imaginário até que a chamassem.

Então crescia e guardava-o no bolso do bibe que sabia que vestiria, logo mais, quando voltasse a ter mãos pequenas, mil berlindes e uma vontade grande de fazer uma outra história…

 

Fotografia de ©Ana Rita Pinto

 

Permanece muda, distante, tentando apanhar os fragmentos das nascentes de todos os rios. Perene, vagueia, e, por mais que procure, não é o chão da verdade que encontra.

Tudo é agora efémero, menos o nada que lhe consome os passos porque há frases que doem, momentos que não deveriam existir e a certeza de que não mais terá mãos pequeninas.

 

 

 



publicado por Cris às 20:19 | link do post | comentar | favorito

30 comentários:
De Chris a 7 de Dezembro de 2011 às 14:30
Saudades deste cantinho!!! Linda a tua joaninha!! bjn


De Cris a 9 de Dezembro de 2011 às 00:32
Saudades de ti, Xará!!! Tantas!!!


Comentar post





mais sobre mim
Dezembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


Artigos recentes

 


...

Bonança

Ti'Mariquinhas, mãos chei...

Infinito

...

...

Viagem

Serenidade

Triste Forma de Amar

Não deixes de nos olhar

Arquivo

 

Dezembro 2009

Outubro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Anúncios grátis
blogs SAPO
subscrever feeds