10 comentários:
De mariz a 17 de Janeiro de 2009 às 03:38
Salvé amiga:
venho aqui de novo perguntar-te se não gostarias de te unir á corrente de energia que partiu de lá, por inspiração dum blog duma amiga de longa data, a fim de que uma egrégora se formasse e fosse plasmar-se em locais onde fosse mais calamitosa a situação. A nossa intenção, actuação, pensamento e oração, têm muita importÂncia neste tempo. Pensa e depois diz-me. Está tudo bem?
As pipocas, o mel, e o pó de talco ...está tudo bom?
Beijinhos família
Mariz


De Helena Paixão a 16 de Janeiro de 2009 às 23:44
A amizade é de facto o sentimento maior, mais nobre, mais quente, como tão bem neste post está retratado. Que encanto!!!

Beijinhos às duas :-)

... e bom fim de semana!



De mariz a 15 de Janeiro de 2009 às 22:25
Salvé escritora de emoções!
Salvé musa africana feita de flor do embondeiro!


Todos sem excepção somos:Seres de Amor, Pacíficos e Harmoniosos...é essa a nossa NATUREZA! Partindo desta premissa, é de lamentar que não se experimente a gratificante sensação que é DOAR-SE ao outro/a.Sem cobranças, sem pedras no sapato, sem mal entendidos, sem maledicência, sem raivinha de dentes, enfim...em pleno AMOR!

Se o que se leu aqui, toca o coração de todos...então que se manifeste o Bom que é, - e aludindo á flor do embondeiro - morrer num dia e no outro renascer - sem que isso demore 365 dias...mas no minuto imediato. Os ressentimentos, as mágoas, os amuos, corróiem o coração...e matam-no! - se bem continue a pulsar - Dificilmente se retoma a VIDA, sem perdão - a outra face do AMOR!

Que a felicidade seja assim...um estado de "dentro" e permanente; que as palavras se projectem de tão belas e nítidas...por GRATUITAS! - sem peso e medida, como as lemos aqui.

A verdadeira Liberdade define-se por deixar fluir a linguagem do coração....sem vergonha ou temor.
Infelizmente a maioria não é Livre!

Sempre...
no Caminho seguro do coração,
Mariz


De peciscas a 15 de Janeiro de 2009 às 19:14
Uma bonita e merecida homenagem de um mulher bonita a outra mulher bonita.
Se o mundo fosse só povoado por seres como estes, que paraíso seria!


De Silêncio Culpado a 15 de Janeiro de 2009 às 18:20
A vida vale a pena só por isto. Esta mensagem tem a dimensão do mundo. A Fatyly merece.


Abraço


De Odele Souza a 15 de Janeiro de 2009 às 13:45
Cris,

Um post onde o carinho e a amizade entre duas pessoas - tu e Fatyly - tranbordam e nos fazem muito bem porque é sempre bom ver e "sentir" o amor nortear gestos e atitudes.

Ficou lindo o teu post Cris, foi lindo o teu gesto de carinho para com Fatyly a quem também adoro.

Beijos e abraços para as duas.


De Paulo Mello a 15 de Janeiro de 2009 às 13:32
Cris, já te disse que existem postagens que me comovem até às lágrimas... esta foi uma delas! Emociona-me ver dois corações tão grandiosos se intercomunicando através do sentimento da AMIZADE, e deixando para nós leitores uma POESIA que se transpira em cada palavra.

Belo post, Cris, como também o comentário de agradecimento da Fatyly. Duas almas que engrandecem os bons sentimentos.

Ficam meus cumprimentos num abraço fraterno,
PMello


De Fatyly a 15 de Janeiro de 2009 às 10:20
Olha lá rapariga queres matar-me do cóóóóóração:)

Que maravilha de post para "moi" e carreguei as baterias com as tuas palavras, com palavras minhas e esse poema que já o fiz há tanto tempo mas que continua presente.
A flor do embondeiro que caprichoso, durão, belo e magestoso só nos presenteia com uma ou duas uma vez no ano. Abre à noite e morre no dia seguinte:)

A música já me fartei de dançar e bater o pé:)

Vou andar por aí com o meu violão
Vou à motamba, tomo um machibombo qualquer

"Porr ma curia a naqui"
Sou igual a toda a gente
Na linha da terra nova
Só páro lá no Mossamgui
Com a minha gente entre mufete e conversa [mim]
E de madrugada, com Catambi com Tambuita [mim]

Zag, zag, zag, zag
Zanga-zuzi até cair ...


Aiuehh..
Que é que vai fazer amanhã meu irmão?!


És um doce e meu maior OBRIGADÃO e sabes? A vida é feita de colares todos eles rendilhados conforme o brilho que lhe damos e calmamente, com muita esperança, garra, sorriso, o meu já começou de novo a brilhar, porque por vezes embaciam mas enquanto for viva não perderão o seu brilho:):)

Beijos fiota mais nita

PS: Obrigada Minucha pelo teu comentário:)


De Cris a 15 de Janeiro de 2009 às 20:52
Ó Coisa Boa, voltas a agradecer levas-me um chapadão que nem sabes...rssss :))))))))))

És linda, gosto de ti, digo-o sempre, digo-te, emociono-me.
Fosse eu agradecer tudo, tudo, tudo o que me dás, me fazes... Olha, entaramero-me toda porque tu sabes que eu sou uma "manteigueira2 e desato a chorar.
É teu o lugarejo.
Beijo tuas mãos, Linda e agradeço a Deus o dia em que nos encontrámos. Já não me imaginaria jamais sem ti, nunca!

Com todo o amor, tua fiota,
Cris

As "Pickles" só dizem: "Ai que fófi, mãe! A Fatyly merece tudo isto e mais!


De Claras Manhãs a 15 de Janeiro de 2009 às 02:36
Que lindo, mas lindíssimo gesto.
E como ela merece, a Fatyly!
Como é bela e sentida a sua poesia
Saio daqui encantada

beijinho grande, grande, às duas de corações enormes


Comentar post