De Fatyly a 15 de Janeiro de 2009 às 10:20
Olha lá rapariga queres matar-me do cóóóóóração:)

Que maravilha de post para "moi" e carreguei as baterias com as tuas palavras, com palavras minhas e esse poema que já o fiz há tanto tempo mas que continua presente.
A flor do embondeiro que caprichoso, durão, belo e magestoso só nos presenteia com uma ou duas uma vez no ano. Abre à noite e morre no dia seguinte:)

A música já me fartei de dançar e bater o pé:)

Vou andar por aí com o meu violão
Vou à motamba, tomo um machibombo qualquer

"Porr ma curia a naqui"
Sou igual a toda a gente
Na linha da terra nova
Só páro lá no Mossamgui
Com a minha gente entre mufete e conversa [mim]
E de madrugada, com Catambi com Tambuita [mim]

Zag, zag, zag, zag
Zanga-zuzi até cair ...


Aiuehh..
Que é que vai fazer amanhã meu irmão?!


És um doce e meu maior OBRIGADÃO e sabes? A vida é feita de colares todos eles rendilhados conforme o brilho que lhe damos e calmamente, com muita esperança, garra, sorriso, o meu já começou de novo a brilhar, porque por vezes embaciam mas enquanto for viva não perderão o seu brilho:):)

Beijos fiota mais nita

PS: Obrigada Minucha pelo teu comentário:)


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.