31 comentários:
De Adrian LaRoque a 22 de Fevereiro de 2009 às 14:45
Obrigado pelo comentário e visita, excelentes textos que tem no blog. Por outro lado já há que não via as fotos do Antonio Amen.


De Cris a 22 de Fevereiro de 2009 às 18:54
Fui, pela curiosidade, ao teu espaço. Encantei-me, deliciei-me, fiquei com a vontade de trazer comigo aqueles momentos.
Belos "shots".
Do António Amen, gosto, gosto muito!

Beijo, Adrian e vou voltar a visitar-te mais vezes.



De Adrian LaRoque a 22 de Fevereiro de 2009 às 19:42
E eu voltarei aqui concerteza para continuar a ler e a apreciar estas imagens.
Um abraço deste lado do Atlantico
Adrian


De Cris a 22 de Fevereiro de 2009 às 19:57
:) Não sei se viste o que te pedi :)
Gostei imenso das tuas imagens e aquela: "Moments" é deliciosa por tudo!
Pela magia, pelo belo enquadramento, pela cor, uma quase pintura,pelo que se adivinha "behind all odds"...
Como não vi o teu endereço de e-mail "atrevi-me" a pedir-te na caixa de comentários.
Um abraço, Adrian.
Vem sempre que queiras.
Cris
















De Adrian LaRoque a 22 de Fevereiro de 2009 às 20:09
Cris pode usar a minha foto, acabei the lhe enviar a imagem para o seu email.
Um grande abraço,
Adrian


De Paulo - Intemporal a 22 de Fevereiro de 2009 às 11:33
E nas interrogações a possibilidade de re.fazer a passagem dos dias.

Aqui, onde de mãos dadas te encontro.

E me encontro também.

E deixo-TE um beijo sentido.

[Sempre eloquentes as tuas palavras, sem necessidade de quaisquer dicionários. Parabéns.]


De Cris a 22 de Fevereiro de 2009 às 18:51
Deixar correr a imaginação... Sentir, pelo prazer de tanto momento, instantes que se viveram...recordações deliciosas, prados a perder de vista que os rios acompanham.

Meu beijo, Paulo.


De Helena Paixão a 21 de Fevereiro de 2009 às 18:14
Ái o Amor... exposto de forma tão bonita e expressiva!

Gostava de saber comentar condignamente este texto escrito com o coração... mas não tenho o dom da escrita como tu!...

É lindo!... e pronto! :-)

Bjoquitas


De Cris a 21 de Fevereiro de 2009 às 18:58
Basta olhar cada imagem que retens, Lena, para sentir que sabes, sim, como poucos, expressar-TE!
Uma para ti, Linda, e, um fim de semana com muito Sol para ti e para o teu Passarito :)
Beijitos


De Fatyly a 19 de Fevereiro de 2009 às 12:59
Sou bué mentirosa antãooo não sou?

Eu vi que esta prosa era de 2002 e recordo nos tempos em que escreveste. Mas aqui ficou com outro sabor:)

Aguardo pela tua resposta ao desafio:))) Continua a seres quem é e venham de lá essas 3 mentiras loll

Beijos garota e extensível às pickles


De Cris a 19 de Fevereiro de 2009 às 20:29
Espera para ver!... ;))))))

Beijos, Mãezona Mais Linda.


De mariz a 18 de Fevereiro de 2009 às 20:26
Salvé

2002? ainda?

Vou repetir-me: deixa ir...

Ainda não entendeste que estás a ser testada?
Eu já...desde aquele dia em que não pude por dever dizer-te nada mais, a não ser...ser agreste, ou mostrar indiferença...apenas e só para teu bem. Mas não fiquei indiferente. Nunca fico - tudo e todos me tocam...simplesmente o trabalho interno tem-em dito que as emoções feitas saudade, ou nostalgia, que roça a saudade, são um mal para quem tem pés para andar...no Caminho, na senda...
O éter que se absorve já...soa a novo...tudo o que é velho e de rendas gastas, veludos ruídos pelas traças, de velhos hábitos e vícios de se ver quem vê ou de pensar em se "ter" alguém, é já de si, o oposto ao que se está já a viver...ou a sentir...
Deixo-te mais este recado...se o quiseres digerir com a doçura que te entrego, sem conservantes, ou prazos de validade.

Sempre...
Mariz


De mariz a 18 de Fevereiro de 2009 às 20:28
errata: roídos


De Cris a 19 de Fevereiro de 2009 às 20:28
Amiga,

Beijo e tudo de bom.
Obrigada. Volta sempre que queiras. És sempre bem vinda!




De mariz a 21 de Fevereiro de 2009 às 03:30
Percebi. Aliás percebi a ausência... a tudo.
A intenção foi das melhores, embora nem sempre as pessoas as percebam. Talvez o Caminho e só ele, seja o meu grande porta-voz...só que desta feita, será de novo para doer....paciência, é no charco que se aprende...e eu continuo a aprender.

Beijo para ti também
Sempre...
mariz

Quanto á pessoa que tanto amaste - tal como eu o meu - se reparares eu escrevi: "inconscientemente"! Estou deste lado pressinto com outra visão e sensibilidade, o que vai dentro.
Coisas Cris...coisas! de uma forma diferente - que já deu para entender...o que é uma pena!
E asim, me retiro de mansinho para não fazer ruído.


De Oui C'est Moi a 17 de Fevereiro de 2009 às 22:27
:) Tive um rio na minha Vida, mas ele corria como os rios normais, para jusante...


De Cris a 17 de Fevereiro de 2009 às 22:55
...este também o era, para os demais...

Beijo, Oui C'est Moi


De Claras Manhãs a 16 de Fevereiro de 2009 às 22:25
Cada vez gosto mais de te ler, minha querida
2002?
Ah Cris! faz falta um livro teu.

beijinho emocionado


De Cris a 17 de Fevereiro de 2009 às 20:01
Quem sabe um dia será uma realidade?
Por enquanto vou colocando aqui o que vou escrevendo :)

Beijo, meu doce.


De Cris a 16 de Fevereiro de 2009 às 20:55
Beijo, Fatyly. Esta prosa poética é uma das preferidas da minha manita :) Já foi escrita há uns anos mas, como todos os dias são belos para se falar de amor, fui buscá-lo ao baú ;)
Obrigada. Foi um domingo calmo, com sol, com as Pickles por aqui. Foi bom, é sempre bom quando o Trio está junto.



De Beatriz a 16 de Fevereiro de 2009 às 14:44
Fineza desconsiderar o 'um' a mais... rs.


De Cris a 16 de Fevereiro de 2009 às 20:42
Rs... Não me digas que foi o Paulo que veio corrigir...rs


De Beatriz a 16 de Fevereiro de 2009 às 14:42
As palavras fogem quando se vive um momento de poesia tão bonito, tão perfeito!

Fica um apenas um beijo querendo aninhar-se n'algum coração. Guarda-o no teu, com meu carinho.


De Cris a 16 de Fevereiro de 2009 às 20:38
As palavras brincam, quando se sentem tão bem. Adoram passear pelos "Caminhos de ti" , mostrá-los, vir dizer-nos que há tantos outros sítios, tantos outros lugarejos, Amiga.
Vem então passear enquanto me contas estórias bonitas do lado de lá dessa margem... Depois, atravessamos o ribeiro, que a água refresca e delicia.
Bons estes momentos em que nada mais nos importa senão falarmos do que nos encanta, do que nos apazigua.

Já sabemos o caminho. Agora é ir, pelo prazer de passearmos ao som da brisa cálida da tarde.

Traremos cestos com tanta flor bonita que espalharemos pelas boas-vindas, eloo alpendre do teu sítio,pelo alpendre do meu..., e continuaremos a conversar e quando nos dermos conta não teremos dois lugarejos, mas um, ligados por caminhos pejados de flores de campo.

Meu beijo, Calunguinha


Comentar post